No DF, políticos utilizaram as redes sociais para reagir, de maneira dura, ao desfecho do caso Mariana Ferrer, influenciadora digital que acusa o empresário André de Camargo Aranha de tê-la estuprado após uma festa ocorrida em 2018. O acusado acabou sendo inocentado e enquadrado em crime de estupro culposo, que nem existe no Código Penal (CP), durante um julgamento marcado pela humilhação velada à vítima, praticada pelo advogado que defendia o réu.

A deputada federal Flávia Arruda (PL), coordenadora da Comissão Externa de Combate à Violência contra a Mulher, divulgou uma nota em que repudia a “coação e humilhação” que Mariana Ferrer foi vítima durante julgamento que teve sentença inédita de “estupro culposo”. A parlamentar é coordenadora da Comissão Externa de Combate à Violência Contra a Mulher e na manifestação reforça que caso não será esquecido e deve haver punição exemplar. Confira a íntegra:

“Não existe defesa da honra, não existe crime passional, não existe estupro culposo, mas essa decisão do caso Mariana Ferrer reforça que existe, em todos os espaços, o machismo. Mas não haverá mais silêncio. A coação e a humilhação da qual ela foi vítima, além do estupro, não serão esquecidas e devem ser punidas de forma exemplar. Hoje comemoramos o direito da mulher ao voto e, como coordenadora da Comissão Externa de Combate à Violência contra a Mulher, garanto que vamos, mulheres e toda sociedade, seguir lutando para que casos como este não se repitam. Não vamos nos calar”.

WhatsApp Image 2020 11 03 at 22.43.06 1024x1024 - Flávia Arruda se posiciona sobre caso Mariana Ferrer

vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Simone Leite

Simone Leite atuou como repórter, produtora de TV, assessora de imprensa e editora de notícias. Há dez anos, atua diretamente na política, área que se diz apaixonada!