Legalidade de gastos de autoridades em viagem

A legalidade e transparência dos gastos do poder público com viagens de autoridades para cerimônia de canonização de Irmã Dulce, no Vaticano, serão apuradas pelo TCU – Tribunal de Contas do DF.

Na representação, o subprocurador Lucas Rocha Furtado afirma que o tipo de despesa em jogo, “caso exorbitante e fora da razoabilidade”, afronta ao princípio da moralidade administrativa.

Maia e Alcolumbre afirmaram que ficariam hospedados na Embaixada do Brasil em Roma. Alcolumbre disse ainda que não receberá as diárias a que tem direito, e a assessoria de Maia afirmou que o deputado representará a Casa “sem ônus para a Câmara”. De acordo com as regras da Congresso, a diária para deputados é de US$ 428 e para senadores, de US$ 416.