Suprimentos para o município de Águas Lindas

Na tarde desta terça-feira (23), os secretários da Casa Civil, Gustavo Rocha, da Saúde, Osnei Okumoto, concederam uma entrevista coletiva, no Salão Branco do Palácio do Buriti, para realizar a atualização das medidas adotadas pelo Governo do Distrito Federal (GDF) no enfrentamento da pandemia de Covid-19.

Rocha destacou que o Governo do Distrito Federal viabilizou o envio de suprimentos para o município de Águas Lindas (GO), local em o sistema de saúde entrou em colapso nesta terça-feira, por falta de oxigênio. A região entrou em estado crítico, pois o caminhão que levaria o recurso capotou na cidade de Petrópolis (RJ). Por fim, afirmou que o repasse só foi possível, pois o DF apresenta condições de realizar a entrega, sem afetar a população local.

O Distrito Federal enviou o total de 32 metros cubicos de oxigênio para a cidade goiana, suficiente para o dia de hoje. A medida também foi tomada, pois as pessoas do Entorno acabariam vindo para o DF, caso não houvesse tratamento em suas cidades.

O secretário da Casa Civil destacou que a taxa de isolamento está em 45%, o que segundo ele, ainda é baixa. Quanto a taxa de casos, Rocha afirmou que houve uma queda de 5,22% entre 14 e 21 de março. Além disso, o índice de circulação de veículos reduziu em 6% nos últimos dias.

De acordo com Gustavo Rocha, o sexo feminino representa cerca de 55% dos casos positivos no Distrito Federal. Entretanto, óbitos de mulheres é indicado por, aproximadamente, 42% do total de mortes.

Em relação a vacinação de novas categorias, o secretário da Casa Civil informou que a decisão vai ser para imunizar profissionais que atuam nas ruas e, por isso, estão em constante período de contágio.

O secretário da Saúde, destacou que a partir desta quinta-feira (25), servidores, das 14 categorias que serão imunizadas, poderão realizar o agendamento para serem vacinados a partir do dia seguinte. Segundo ele, o grupo é representado por cerca de 100 mil profissionais e a quantida de vacinas destinadas gira em torno de 20 a 25% desse total.

Osnei Okumoto informou que de ontem para hoje, o DF abriu mais 20 leitos de UTI e 22 leitos de enfermagem. Além disse, afirmou que a rede privada de saúde também tem aumentado seu quantitativo.

Em relação da construção das cinco usinas de oxigênio em hospitais de campanha e acoplados do DF, Okumoto informou que o edital ainda está sendo finalizado. Segundo ele, ainda não há um prazo de entrega dos locais. Novamente, o chefe da saúde, os espaços ficarão como legado na capital, pois eles tem durabilidade de 20 anos.

Com a redução da circulação da população, outra enfermidades tem apresentado baixa na quantidade de entrada em hospitais. Osnei disse que um exemplo dessa diminuição são os casos de traumas cranianos. Gustavo Rocha complementou a resposta e explicou que a queda é de 6%, o que representa cerca de 300 mil veículos a menos nas ruas.