Os danos da pandemia no empresariado são uma preocupação para o setor privado e também para o Governo do Distrito Federal. Na avaliação de José Humberto Pires, secretário de Governo do DF (Segov-DF), tanto a imunização quanto os incentivos econômicos devem ser tratados com igual prioridade. Pires pontuou que o governo desenvolveu uma linha de apoio para que os setores mais vulneráveis recebessem um impacto menor da crise econômica causada pelo novo coronavírus.

“Foram ações ou na isenção dos impostos ou referentes à prorrogação dos tributos. Também tivemos o projeto de linha de crédito aberto com o BRB (Banco de Brasília) para apoiar essas empresas. Para se ter uma ideia, somente na última linha de crédito que foi autorizada pelo governador houve uma demanda de mais de R$1 milhão”, explicou.

Leia Também:  Parceria Público Privadas. Por que não?

De acordo com o secretário, o GDF deve ter uma “visão construtivista, pois ajudando as pessoas a passarem por essa crise, que é uma crise temporária, teremos depois empresários que consigam abrir seus comércios”.

Ainda segundo o secretário, o DF foi um das únicas unidades da federação que teve um crescimento no Produto Interno Bruto (PIB), apesar da pandemia, em comparação com o resto dos estados do país. “Contamos aqui com um empresariado muito consciente e muito investidor. O poder aquisitivo também é grande em Brasília e temos visto muitas áreas acreditando que a crise não passa deste ano, como o setor de Construção Civil. As licitações feitas continuam, inclusive, tendo muito sucesso”.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments