Taxistas e motoristas de transporte escolar recebem benefício

Motoristas de táxi e de transporte escolar receberam a terceira parcela do benefício de R$ 600 oferecida pela Secretaria de Desenvolvimento Social, de Economia e de Transporte e Mobilidade. O auxílio, transferido na última sexta-feira (09), é uma medida para minimizar os impactos da pandemia de covid-19 para os profissionais.

Os motoristas que ainda não possuem cartão podem consultar no site gdfsocial.brb.com.br se são ou não beneficiários. Em caso de confirmação, o benefício poderá ser retirado na agência do BRB indicada no momento da consulta.

O Mobilidade Cidadã atende aos taxistas devidamente cadastrados, em 31 de janeiro de 2020, no Cadastro de Permissionários/Concessionários da Secretaria de Mobilidade, bem como os proprietários de veículos escolares regularmente registrados, em 31 de janeiro de 2020, no Detran/DF. Para os motoristas que já possuem o cartão do programa, pois participaram da primeira fase do Mobilidade Cidadã, em 2020, o crédito da nova fase é feito automaticamente.

Segundo o secretário de Economia, André Clemente, além da importância social do auxílio, especialmente em um momento de pandemia, o benefício também servirá como impulso para o aquecimento dos comércios locais. “É um benefício não só para os taxistas e motoristas de transporte escolar. Pequenas e grandes empresas também serão beneficiadas”, destaca Clemente.

O novo auxílio faz parte do programa Mobilidade Cidadã, que foi implementado pelo GDF em 2020. Ele garantiu o pagamento de auxílio no valor de R$ 600 durante três meses, a partir de junho de 2020, para cerca de 1,7 mil proprietários de ônibus, micro-ônibus ou outros veículos destinados ao transporte coletivo escolar e de turismo. O programa foi renovado para mais três meses, de dezembro de 2020 a fevereiro de 2021.

Em maio, o auxílio voltou a ser pago para taxistas e profissionais do transporte escolar. Com a nova etapa do auxílio, cerca de 4,5 mil profissionais devem ser beneficiados. O impacto dessas três novas parcelas é de R$ 9,8 milhões. O programa é operacionalizado pelo BRB. Os recursos são repassados pela Secretaria de Economia para a instituição financeira.

As informações são da Agência Brasília