Os servidores públicos do Distrito Federal podem sofrer as consequências da operação da Polícia Federal e Ministério Público Federal no BRB.

Segundo noticiou o site Metrópoles, o receio é que por causa da operação Circus Máximo que identifica provável corrupção na cúpula do banco se”provoque perda nas ações da instituição financeira usadas para recompor R$ 531 milhões retirados do Instituto de Previdência do DF”.

Para quem não lembra, a forma como foi feita a devolução dos valores para o Iprev, foi por meio de títulos.

“Em uma conta linear – sem considerar os investimentos que o Iprev poderia fazer com a retirada –, o prejuízo na data atual seria de R$ 327,5 milhões. Se o Iprev precisasse vender ações no mercado, a título de recomposição do valor retirado ainda no governo de Rodrigo Rollemberg (PSB), a instituição conseguiria arrecadar R$ 203,9 milhões”, explica a reportagem.

O problema da corrupção também desvaloriza as ações do banco. Assim, a estatal não tenha fôlego financeiro para recompor o dinheiro retirado do Iprev.

Leia Também:  arquivo

O presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Civis da Administração Direta (Sindireta), Ibrahim Yusef, disse que será convocada uma reunião do conselho do Iprev para que esclarecimentos sejam prestados.

Leia a reportagem na íntegra aqui.

1
Deixe um comentário

avatar
1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
Nogueira Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Nogueira
Visitante
Nogueira

Privatize esse banco,pois não tem o pq o Estado tomar.conta desse sistem

Odir Ribeiro

Odir Ribeiro é jornalista, blogueiro e multimídia que desde 2011 cobre os bastidores da política do DF.
Fechar Menu