Delações põem BRB na mira da Polícia Federal

Sede do Banco de Brasília

O BRB entrou na mira da Polícia Federal. Uma operação foi deflagrada hoje (29) e investiga suposto esquema de pagamento de propinas de R$ 16,5 milhões a diretores e ex-diretores do Banco de Brasília (BRB). Em troca, investimentos no antigo Trump Hotel, no Rio de Janeiro, atualmente conhecido como LSH Lifestyle.

O presidente licenciado da instituição Vasco Cunha Gonçalves, além dos diretores Financeiro e de Relações com Investidores, Nilban de Melo Júnior, e de Serviços e Produtos, Marco Aurélio Monteiro de Castro são os alvos.

São cumpridos mandados de prisão e de busca e apreensão expedidos pela 10ª Vara da Justiça Federal em Brasília.

Outros investigados são Diogo Cuoco e Adriana Cuoco, filho e nora do ator de telenovelas Francisco Cuoco e Paulo Renato de Oliveira Figueiredo Filho, neto do general João Baptista Figueiredo.

Delações premiadas de executivos da Odebrecht, do corretor Lúcio Bolonha Funaro, operador de propinas para o MDB, e do empresário Ricardo Siqueira Rodrigues embasaram a operação da PF.