A Secretaria de Transporte e Mobilidade do Distrito Federal (Semob-DF) informou que o prazo para os moradores debaterem o projeto “Zona Verde” – que pretende implementar a cobrança pelas vagas de estacionamento em locais públicos – foi prorrogado até o dia 14 de agosto.

O texto também será apresentado para o Ministério Público do DF na próxima quarta-feira (5) e encaminhado para a Câmara Legislativa. Segundo o secretário-executivo de Mobilidade, Luiz Felipe Carvalho, “o objetivo é ter o maior número de contribuições para que o processo possa ficar qualificado e transparente para a sociedade”.

Para participar, a população deve mandar sugestões e propostas para o e-mail [email protected].

A Zona Verde, caso implementada, vai conceder áreas públicas à iniciativa privada para obras, manutenção e cobrança pelas vagas. A proposta apresentada pela Secretaria de Transporte e Mobilidade divide os estacionamentos em quatro regiões identificadas por cores de ipês e os preços variam de R$ 2 a R$ 5 para carros, e de R$ 1 a R$ 2,50 para motos, por hora.

O projeto inclui quadras residenciais do Plano Piloto, os setores bancários, comerciais, hoteleiros, o Eixo Monumental e áreas próximas ao Metrô e ao BRT .

A audiência pública realizada nesta sexta-feira durou mais de três horas. De forma presencial, 16 pessoas participaram e cerca de 22 mil acompanharam pela internet.

Durante o encontro, o responsável pela Assessoria Especial de Parcerias (Aesp), Antonio Maria Espósito, explicou que o Zona Verde tem dois objetivos principais:

  • O aumento da rotatividade na utilização das vagas em áreas públicas.
  • Incentivo ao uso do transporte público.

Sobre o projeto

De acordo com o projeto, nas áreas residenciais, cada morador teria direito a apenas uma vaga fora da garagem. “É uma forma de preservar os espaços dos moradores, já que os motoristas poderiam migrar para as quadras por conta da tarifação”, disse o secretário-executivo de Mobilidade.

Leia Também:  'Déjà vu' crítico na Segurança Pública

A previsão é de que o projeto abranja cerca de 100 mil vagas no DF. A empresa contratada, por meio de chamamento, deve fazer a manutenção dos espaços e construir mais 6 mil vagas na capital. O contrato prevê duração de 30 anos, com investimento de R$ 300 milhões.

As formas de pagamento, no entanto, serão por meio de totens de autoatendimento, parquímetro, site, monitor, aplicativo, ponto de venda e call center.

Quais são as zonas?

mapa zona verde - DF prorroga consulta sobre taxas de estacionamento em área central
Mapa do Projeto Zona Verde — Foto: Secretaria de Mobilidade e Transporte/Reprodução

Ipê Branco

  • Locais: criação de bolsões próximos a estações do metrô e do BRT
  • Horário de funcionamento: segunda-feira a sexta-feira das 9h às 23h
  • Cobrança: R$ 2 por hora para carro e moto está isenta
  • Tempo de permanência máxima: sem limite

Ipê Amarelo

  • Locais: Asa Sul, Asa Norte, Sudoeste, SIA e Setor de Indústrias Gráficas
  • Horário de funcionamento: segunda-feira a sexta-feira das 9h às 19h, sábado e domingo de 8h às 13h
  • Cobrança: R$ 2 por hora para carro e moto paga R$ 1
  • Tempo de permanência máxima: 2h

Ipê Rosa

  • Locais: Eixo Monumental, próximo aos Ministérios, Palácio do Buriti, Câmara Legislativa e Tribunal de Contas
  • Horário de funcionamento: segunda-feira a sexta-feira das 7h às 19h
  • Cobrança: R$ 2 por hora para carro e moto paga R$ 1
  • Tempo de permanência máxima: 12h

 

Ipê Roxo

  • Locais: setores bancários, comerciais, hoteleiros, de rádio e TV, setores de autarquias e médico hospitalares
  • Horário de funcionamento: segunda-feira a sexta-feira – das 8h às 18h, no sábado de 18 às 13h
  • Cobrança: R$ 5 por hora para carro, moto paga R$2,50
  • Tempo de permanência máxima: 5h
vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Simone Leite

Simone Leite atuou como repórter, produtora de TV, assessora de imprensa e editora de notícias. Há nove anos, atua diretamente na política, área que se diz apaixonada!