Ibaneis Rocha afirmou que o promotor de Justiça Eduardo Gazzinelli Veloso feriu o princípio do “promotor natural” ao fiscalizar a instalação dos equipamentos comprados em contrato emergencial para o hospital de campanha do estádio Nacional Mané Garrincha, destinado aos pacientes com covid-19.

Além disso, ao apresentar uma reclamação disciplinar contra o promotor, o governador trava batalha com o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT).

Considerado atuante, Gazzinelli nunca foi alvo de uma representação no CNMP ou na Corregedoria.

No entanto, Ibaneis justifica que o promotor que atua na área de Defesa do Patrimônio Público e Social não integra a força-tarefa de fiscalização dos contratos e medidas emergenciais.

Leia Também:  Mais uma: GDF aluga faqueiro de R$ 78 por R$ 155 mil

Na representação, Ibaneis Rocha alega ainda que Gazzinelli integra um grupo ligado ao ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot, uma vez que o promotor de Justiça atuou na PGR em processos com foro no STJ.

Ibaneis cita o fato de ter feito uma representação na OAB contra a liberação da carteira de advogado a Janot, quando ele se aposentou.

Por isso, o governador pede que o CNMP conceda uma liminar que impeça Gazzinelli de fiscalizar novas instalações da saúde ou, pelo menos, comunique o GDF com antecedência de 24 horas.

 

Com informações de Ana Campos
vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Simone Leite

Simone Leite atuou como repórter, produtora de TV, assessora de imprensa e editora de notícias. Há dez anos, atua diretamente na política, área que se diz apaixonada!