araponga - Muito estranho
Há um mistério que paira nos ares do Distrito Federal. É que causou estranheza o fato de o Ministério Público do DF ter dispensado a participação da Polícia Civil do DF na terceira fase da Operação Dracon, que investiga desvios de recursos na saúde pública.
Os promotores investigam possíveis vazamentos e queima de arquivos, suspeita de associação criminosa e ainda interferência de distritais nas investigações.
Um dos responsáveis pelas investigações, promotor Clayton Germano, confirmou a notícia ao esclarecer que o “MP tem autonomia para executar os mandados de condução coercitiva”.
Nas outras duas fases, o Ministério Público do DF contou com a parceria da Delegacia Especial de Repressão aos Crimes contra a Administração Pública (Decap).
Fonte: Redação 

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of
Fechar Menu