Apesar de praticado desde os tempos remotos, o jejum ainda é um hábito controverso. E um método aplicado há poucos anos  movimentou novamente as discussões: o jejum intermitente, quando a pessoa fica longos períodos sem comer, exigindo que o corpo queime seu estoque de energia (gordura) durante esse tempo. As dúvidas ainda são muitas e a nutricionista Cida Araújo esclarece pontos importantes na entrevista.
Confira!

 

1) Qual o perfil de uma pessoa que pode fazer o jejum intermitente?

O ideal é que o jejum intermitente seja feito por pessoas que inicialmente já tenham reduzido a quantidade de carboidrato da alimentação, ou que já não consumam grandes quantidades de carboidrato , para que não ocorra hipoglicemia (queda na glicose). Não é indicado para indivíduos com histórico de distúrbios alimentares, grávidas, lactantes, crianças, pessoas com diabetes, com distúrbios gástricos e idosos acima de 70 anos.

2) Muitas pessoas se exercitam durante o período de jejum para queimar mais calorias. Isso é recomendado ou perigoso?

Há estudos que mostram pontos a favor e contra, mas de forma geral, indico para pessoas que não se sentem bem fazendo alguma refeição antes do treino, e pessoas que tmb já estejam adaptadas ao baixo consumo de carboidrato.
cada caso deve ser avaliado e ninguém deve começar a praticar esse tipo de jejum sem orientação profissional.
Depende de cada um. E também depende da intensidade. O crossfit, por exemplo, é um exercício de altíssima intensidade, é mais interessante lançar mão sempre de um pré-treino do que começar a fazer o exercício de barriga vazia.

3) Durante o período de jejum, posso ingerir líquidos? Quais, em que quantidade e em que momento desse intervalo de horas?

Leia Também:  Em viagem: Servidor que denunciou propina no Governo de Brasília justifica ausência para CPI

Pode ingerir água, café, chás, sem açúcar e de preferência sem adoçantes.

4) Para o jejum intermitente funcionar, qual deve ser a composição das refeições no período em que pode comer?

No geral, a refeição pós-jejum deve ser equilibrada, composta de alimentos reguladores (verduras, legumes e/ou frutas), energéticos (carboidratos, de preferência ricos em fibras) e construtores (proteínas magras), inclusão de gorduras essenciais (peixes, nozes e sementes), fontes magras de proteína, grãos inteiros, carboidratos, e abundância de frutas e vegetais, para o corpo obter quantidades necessárias de fibra dietética, vitaminas e minerais.

5) Qual intervalo de tempo sem comer é mais recomendado: 12, 16 ou 24 horas? Ou também depende do perfil?

Depende do objetivo, do perfil, mas segundo estudos, o mais indicado para mulher é 14.

6) O jejum intermitente é para ser feito por um período determinado de dias ou pode ser um hábito diário?

Existem diversos protocolos de jejum intermitente que pedem mais ou menos horas de jejum, frequência.Antes de conhece-los, é importante ressaltar que a escolha da melhor forma e frequência de seguir um jejum intermitente deve ser conversada com um especialista (nutricionista).

7) Para quem tem o perfil e segue corretamente as recomendações, quais os benefícios do jejum intermitente?

Promoção da autofagia celular, aumento da secreção de hormônio do crescimento, prevenção de doenças neurodegenerativas, prevenção de doenças cardíacas, aumento da sensibilidade à insulina, auxílio no emagrecimento, aumento da praticidade e economia, combate ao estresse oxidativo e à inflamação, possível prevenção do câncer.

 

WhatsApp Image 2020 02 07 at 11.14.55 113x170 - Nutricionista esclarece dúvidas sobre o jejum intermitente

Cida Araújo é nutricionista, especialista em Nutrição Funcional e Nutrição Esportiva.

Instagram: @nutricionistadf

Facebook: facebook.com/nutricionistacida

vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Simone Leite

Simone Leite atuou como repórter, produtora de TV, assessora de imprensa e editora de notícias. Há dez anos, atua diretamente na política, área que se diz apaixonada!