eleit - Os deputados, Brasília e o impeachment

Passei o final de semana monitorando as redes sociais. Olhei hashtags, opiniões e  olhei o perfil das quase 5 mil pessoas que estão no meu Facebook. Se depender do Distrito Federal, o impeachment da presidente Dilma Rousseff são favas contadas. 

Os deputados federais estão sentindo na pele os aplausos e repúdio. Quem é favor do impeachment é aplaudido. Quem se mostra contra é vítima de todo o tipo de campanha das mais implacáveis nas redes sociais. 
O deputado federal Rogério Rosso (PSD) é o principal alvo da fúria dos internautas. Rosso tenta disfarçar, mas não tem jeito por ser o líder do PSD na Câmara dos Deputados. Seu partido é unha e carne com a presidente Dilma. Kassab é ministro. Matemática fácil. 
Na mesma rede social, Augusto Carvalho (SDD), Alberto Fraga(DEM), Laerte Bessa(PR) e Izalci Lucas(PSDB) são aplaudidos e incentivados.
Já Erika Kokay(PT) está fazendo o seu papel em ser contra o impeachment e é perfeitamente natural. As críticas a ela não fazem sentido.  
Ronaldo Fonseca (Pros) e Roney Nêmer (PMDB) estão na mira dos seus eleitores e internautas, acabou a privacidade e o distanciamento. A cobrança por uma atitude será intensa e sem direito a enrolas. 
O eleitor não é mais o mesmo, os políticos do muro não terão mais vez em Brasília, o PT foi consideravelmente rejeitado nas eleições de 2014, Dilma não teve sucesso por aqui no DF e o ex-governador Agnelo Queiroz foi escorraçado já no primeiro turno.
Lembrando que a situação de Dilma no Senado Federal tudo está em paz. Hélio José (PSD), Reguffe (PDT) e Cristovam Buarque são contra o impeachment.
Em 2018 quem sair da curva será castigado. Pode esperar…
Fonte: Redação 
vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments