Adaptações no sistema público para enfrentar a segunda onda da covid-19. É o que cogita a Secretaria da Saúde.

Nesta segunda-feira (4), o secretário Osnei Okumoto se reuniu com representantes do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) para discutir novas estratégias.

A reunião abordou remobilização de leitos de UTI, reformulação da força de trabalho nas unidades de saúde e resultados preliminares do inquérito soroepidemiológico.

A SES considera, do ponto de vista logístico, aproveitar a experiência nesta primeira onda para se preparar para a próxima.

Plano de Mobilização de Leitos Covid

Na última quarta-feira (30), a Secretaria de Saúde divulgou o plano de mobilização para leitos de UTI Covid que, em sete fases, irá garantir um suporte de 230 leitos públicos. “É importante se discutir também a questão de pessoal em relação à disponibilidade de força de trabalho humano para fazer este enfrentamento nos hospitais”, comentou Okumoto após a reunião com o MPDFT.

Leia Também:  Zona Verde: GDF vai ampliar número de vagas grátis

As unidades de terapia intensiva estarão disponíveis em 14 hospitais, sendo dez públicos e quatro contratados. No total, somando com os leitos já existentes, o DF terá 382 leitos públicos de UTI Covid.

O Plano de Mobilização prevê ainda a abertura de novos leitos de UTI Covid no Hospital Regional de Samambaia (HRSam), que passará a atender exclusivamente pacientes acometidos pelo novo coronavírus Sars-CoV-2. O Hospital já mobilizou 20, de um total de 27 leitos de UTI Covid previstos para a unidade.

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Simone Leite

Simone Leite atuou como repórter, produtora de TV, assessora de imprensa e editora de notícias. Há dez anos, atua diretamente na política, área que se diz apaixonada!