Mesmo sendo da base do governo de Ibaneis Rocha, o deputado distrital Jorge Vianna (Podemos) não deixou de criticar um Decreto publicado pelo Palácio do Buriti.

O Decreto que traz normas para a humanização do atendimento na rede pública de saúde foi o motivo. Segundo Vianna, não haveria necessidade de um decreto mostrando à população como o atendimento deve ser feito.

Para desempenhar a função de servidor da saúde, explicou o deputado, já existem normas de postura. Caso seja desobedecido, há sanções.

Leia Também:  Bafão nos bastidores da Câmara

Vianna frisou que os servidores sequer têm condições de trabalho. Não há material, insumo ou medicações, por exemplo. “E a culpa é nossa?”, questionou.

Mas antes de finalizar, o deputado da base deu uma sugestão: o GDF publicar um Decreto que puna o mal gestor público. Afinal, são eles que não dão condições de trabalho para o servidor.

Vem uma crise aí?

2
Deixe um comentário

avatar
2 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors
Marcelo RodriguesJosé Neto Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
José Neto
Visitante
José Neto

Não podemos generalizar mas tem servidor público que humilha o paciente, além do mas quando chegamos em um hospital ninguém sabe da uma informação, até parece que não trabalha naquela unidade de saúde.
O paciente fica mais perdido do que cego em tiroteio

Marcelo Rodrigues
Visitante
Marcelo Rodrigues

Imagina trabalha em um setor onde se chove lá fora, chove dentro também, se precisa de luvas, agulha, seringa específicas para o tratamento NÃO TEM!! Lençóis para trocar um paciente ou mesmo um banho também não tem, fora outras coisas que se for listar da um livro. Ou seja tem de ser “ninja ou mágico”para dar um atendimento digno, mas mesmo assim não vejo ninguém fazendo corpo mole aqui no HRS, e pelo que sei e assim em toda rede.

Elton Santos

Elton Santos é formado em jornalismo e atua na área política do Distrito Federal há oito anos, sempre buscando os bastidores do poder. Já passou por redações e assessorias na capital federal
Fechar Menu