Após agressão e até voz de prisão no HRT, a Secretaria de Saúde determinou, hoje (24), a abertura imediata de procedimento interno para apurar o caso.

O procurador de Justiça do Tribunal de Justiça Desportiva do DF, Marco Vicenzo, deu voz de prisão a uma servidora que teria agredido uma paciente. De acordo com ele, a paciente reclamava da demora no atendimento.

Ainda de acordo com Vicenzo, a servidora teria  dito que o atendimento estava suspenso. O médico de plantão estava realizando um procedimento cirúrgico, segundo ela.

Revoltado com a situação, o advogado passou a filmar a situação. Foi quando a servidora bateu em sua mão e derrubou o aparelho no chão. A partir daí, o procurador deu voz de prisão.

O caso foi registrado na 12ª DP de Taguatinga.

Hoje, o jurista usou as redes sociais para pedir mais amor aos pacientes que utilizam o serviço de saúde pública. Mas disse também não ter a intenção de prejudicar a servidora.

“Acompanhei muitas pessoas fazendo um bom atendimento no hospital, mas, infelizmente, essa servidora cometeu esse ilícito, e eu dei a voz de prisão na função de cidadão, como diz a Constituição Federal. Eu gostaria que isso servisse de exemplo e de aprendizado para que nenhum servidor, de qualquer departamento que seja, faça o que essa mulher fez, que ofenda, que agrida, que trate mal um cidadão, principalmente em um momento de dor”, pontuou.

 

 

Deixe uma resposta

Simone Leite

Simone Leite atuou como repórter, produtora de TV, assessora de imprensa e editora de notícias. Há dez anos, atua diretamente na política, área que se diz apaixonada!