Presidente reagiu a declarações da equipe econômica de que o novo programa seria viabilizado a partir do congelamento de aposentadorias e pensões. Segundo Bolsonaro, autor da sugestão vai receber “cartão vermelho”

O presidente Jair Bolsonaro decidiu barrar a criação do programa Renda Brasil, que substituiria o Bolsa Família. O anúncio foi feito em vídeo publicado nas redes sociais, no qual Bolsonaro reclama de manchetes que dizem que, para criar o novo programa, o governo estudava congelar o reajuste de aposentadorias e pensões. “Até 2022, no meu governo, está proibido falar em Renda Brasil. Vamos continuar com o Bolsa Família e ponto final”, defende.

A ideia da equipe econômica era congelar os benefícios por dois anos. Com isso, seria aberto um espaço no orçamento que poderia ser redirecionado para a implementação do novo programa.

Há meses a equipe econômica do governo tem “batido cabeça” com Bolsonaro sobre qual seria a fonte de recursos para custear o Renda Brasil. A ideia era que o programa tivesse um valor superior ao Bolsa Família. Em agosto, quando a equipe econômica estudava remanejar verba do abono salarial do PIS/Pasep para o benefício, Bolsonaro veio a público para proibir a movimentação. 

“Não posso tirar de pobres para dar a paupérrimos”, declarou em evento em Minas Gerais.

Cartão Vermelho

Agora, em vídeo publicado nas redes, Bolsonaro deu a entender que poderia exonerar quem sugeriu o congelamento das aposentadorias, em uma possível referência ao secretário especial de Fazenda, Waldery Rodrigues, que havia falado à imprensa sobre o assunto.

Leia Também:  Bolsonaro vai continuar assim

“Quem porventura vier propor para mim uma medida como essa, eu só posso dar um cartão vermelho para essa pessoa”, disse Bolsonaro, em uma fala que poderia indicar a demissão do secretário. 

Waldery deveria participar de um evento online nesta terça-feira (15) para divulgar resultados econômicos do governo, mas não apareceu. Na coletiva, o secretário de Política Econômica do Ministério da Economia, Adolfo Sachsida, subordinado de Waldery, demonstrou discordância do chefe: “As discussões não podem ser públicas. Você não pode ficar lançando ideias publicamente. Acho que ele [Bolsonaro] deixou isso claro”, declarou.

Resposta de Guedes

Nesta terça-feira, o ministro da Economia, Paulo Guedes participou do Painel Telebrasil 2020. No evento, repercutiu a fala do presidente dizendo que de o “cartão vermelho” do presidente não era para ele. Por outro lado, justificou a fala do subordinado dizendo que o Ministério da Economia realiza simulações de vários cenários para dar suporte ao relator do pacto federativo, Márcio Bittar.

vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Simone Leite

Simone Leite atuou como repórter, produtora de TV, assessora de imprensa e editora de notícias. Há nove anos, atua diretamente na política, área que se diz apaixonada!