Talvez numa das posses mais disputadas no novo governo, os bancos de Desenvolvimento, do Brasil e Caixa Econômica tiveram seus titulares empossados nesta segunda-feira (7). São eles Joaquim Levy, Rubem Novaes e Pedro Guimarães, respectivamente.

Ao fazer seu discurso, Bolsonaro chegou a brincar dizendo que o motivo da disputa pelo evento era porque se tratava de dinheiro, e emendou: “dinheiro do bem”, dessa vez, se referindo, obviamente, ao período em que o governo petista gerenciou os bancos.

Bolsonaro garantiu que as escolhas dentro dos bancos não sofreu ou sofrerá “interferência política” e que os novos presidentes escolheram seus seus diretores.

Leia Também:  Luis Miranda especulado (e rejeitado)

Sobre os contratos feitos pelos bancos, Bolsonaro sustentou que eles se tornarão públicos. Essa seria uma medida para garantir a transparência no uso dos recursos públicos.

Ao final, Bolsonaro comentou que não entende de economia, mas de política e concluiu: “Não podemos errar. Se errarmos, os senhores sabem que voltará”, disse se referindo ao PT.

Realmente, Bolsonaro sabe que não pode errar. O Brasil já perdeu tempo e esperança demais.

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of

Odir Ribeiro

Odir Ribeiro é jornalista, blogueiro e multimídia que desde 2011 cobre os bastidores da política do DF.
Fechar Menu