Feliz 2022, o ano da eleição | Resenha do VICENZO

Bem verdade que 2021 passou voando – todo ano dizemos isso – e chegamos ao ano eleitoral mais acirrado de toda história da nova democracia.

Lula, Bolsonaro ou Moro ?

Lula infelizmente cresce nas pesquisas e, pra quem é incrédulo na opinião pública – ou prefere acreditar que todas são facilmente manipuláveis – basta acompanhar as redes sociais do símbolo PTista ou pesquisar nas livrarias quais as biografias mais vendidas e até mesmo analisar as palavras de buscas mais pesquisadas no Google (Trend).

Essa não é uma verdade fácil de engolir, mas não podemos negá-la para não sermos surpreendidos. Não acha?!

Importante lembrar que Lula ainda é muito forte dentro da política e entre os políticos e como sempre costumo dizer “a torcida apoia o time, mas quem faz gol é o jogador”.

Bolsonaro segue ainda muito popular e deve iniciar o ano – tomara que isso aconteça, de verdade – tomando algumas medidas para folgar a corda entrelaçada no pescoço dos brasileiros e principalmente aliviar o tamanho do peso nas costas dos empresários.

Se mantiver as composições com os grandes partidos do centrão (PP, PL, PRB e etc) pode ser reeleito contra o Lula no segundo turno, mas é sempre bom manter o alerta, esse ano a fome de poder de alguns partidos pode querer “esfolar” o Presidente Bolsonaro e ele terá que decidir entre ceder e vender seu segundo mandato ou se manter firme apenas ao lado do povo que ainda está a seu lado e correr o risco de perder a eleição.

Dura decisão para quem é símbolo da luta contra o centrão, contra a esquerda e tudo de ruim que representa o antigo governo. Mas não apenas gosta, como sabe que precisará ter caneta para manter sobrevivência política (em caso de vitória do PT).

Moro segue ainda como a única terceira via que pode incomodar os dois candidatos dos polos mais opostos.

O discurso está muito bem elaborado, mas o tom ainda não está afinado suficiente pra chegar na ponta, onde o povão mesmo precisa escutar para entender qual rumo Sérgio Moro quer levar o Brasil.

Dos três – tentando ser eu o mais parcial possível sendo declaradamente Moronista – acredito que o projeto eleitoral do símbolo de combate à corrupção (Lava-jato) ainda precisa de composições fortes para se tornar viável e precisa de figuras populares mais próximas para se mostrar tangível, a aproximação do cantor sertanejo Gustavo Lima é muito boa, mas eu preferiria um humorista tipo Whindersson Nunes ou, por que não o Thiago Ventura ?! Pelo menos teríamos uma campanha mais feliz em 2022.

Só Jesus na causa do brasileiro, que vença o melhor para o momento que viverá o nosso Brasil e feliz 2022. Tomara que seja feliz!

E aí, o que achou da matéria "Feliz 2022, o ano da eleição | Resenha do VICENZO"?

Sabia que agora você pode receber nossas notícias em primeira mão, diretamente no seu whatsapp?

 Também poderá interagir com a redação da Rádio Corredor enviando opiniões e propondo pautas! Basta clicar aqui e mandar uma mensagem para nós.

Autor


Horas
Minutos
Segundos
Estamos ao vivo