O ano está trágico para as mulheres brasileiras. Para tentar reduzir marcas da violência contra elas, há um projeto de já aprovado pelo Congresso Nacional, mas que espera pela sanção presidencial.

O presidente Jair Bolsonaro tem até hoje (13) para sancionar o PL.

A proposta (nº 94/2018) permite que autoridades policiais determinem a aplicação de medidas protetivas a mulheres vítimas de violência doméstica em cidades onde não há juízes.

Assim, o delegado ou até o próprio agente, na ausência do delegado, poderá determinar que o agressor saia de casa, mantendo distância da vítima até a análise do juiz.

Segundo o PL, a autoridade policial deverá informar o juiz da comarca mais próxima em até 24 horas sobre a decisão de afastar o marido ou companheiro de casa.

Esperando pela sanção, a senadora Leila Barros (PSB), relatora da proposta, está de olho no Planalto. E explica: “É um projeto de lei rico, a gente está vivendo um momento muito difícil de feminicídio no país. Só no Distrito Federal já foram dez mulheres assassinadas este ano”, diz.

Com informações da Agência Brasil

4
Deixe um comentário

avatar
3 Comment threads
1 Thread replies
1 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
3 Comment authors
Martiniano Batista Dos SantosRogerioSueli Pinheiro Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Sueli Pinheiro
Membro
Sueli Pinheiro

AS MULHERES DEVERIA TER AULAS TREINAMENTOS DE TIROS PARA SUA LEGITIMA DEFESA NE? ASSIM TERÁ PAZ!

Martiniano Batista Dos Santos
Membro
Martiniano Batista Dos Santos

TREINAR .TIRO…E TAMBÉM..MUAY THAY..CAPOEIRA..JIU JITSU…BOTA PRA RACHAR

Sueli Pinheiro
Membro
Sueli Pinheiro

PRESIDENTE BOLSONARO VAMOS ACORDAR! BRASIL PARA FRENTE Q ATRAS VEM GENTE! RSRS

Rogerio
Visitante
Rogerio

Nosso presidente tem que assinar logo esse projeto pois enquanto ele demora pra assinar muitas mulheres estão sendo minuto a minuto violentadas.

Elton Santos

Elton Santos é formado em jornalismo e atua na área política do Distrito Federal há oito anos, sempre buscando os bastidores do poder. Já passou por redações e assessorias na capital federal
Fechar Menu