Nas últimas horas de trabalho no Congresso, que entra em recesso nesta semana, um novo capítulo da queda de braço entre Câmara e Senado pode atrapalhar a aprovação do Orçamento 2020 nesta terça-feira: a disputa em torno do montante de recursos do Fundo Eleitoral para financiar campanhas municipais.

Na proposta orçamentária enviada pelo Executivo, o valor destinado ao Fundo é de R$ 2,5 bilhões. Entretanto, o Centrão (agrupamento majoritário de partidos de centro na Câmara) e outras legendas defendem que esses recursos cheguem a R$ 3,8 bilhões.

Há uma tentativa de negociação em torno do valor final. Além da possibilidade de manutenção do montante inicial de R$ 2,5 bilhões, também se ventila uma redução para R$ 2 bilhões.

Caso não se chegue a um acordo até terça, um novo embate deverá ocorrer com a apresentação de um destaque para a votação nominal do dispositivo referente ao fundo. A depender do quórum na sessão, ela poderá ser derrubada e a deliberação da proposta adiada para 2020.

 

Deixe uma resposta

Simone Leite

Simone Leite atuou como repórter, produtora de TV, assessora de imprensa e editora de notícias. Há dez anos, atua diretamente na política, área que se diz apaixonada!