Confirmado! O porteiro que envolveu o nome do presidente Jair Bolsonaro na morte da vereadora Marielle Franco mentiu em depoimento à Polícia Civil.

De acordo com Simone Sibilio, procuradora do Ministério Público e chefe do Grupo de Atuação Especial no Combate ao Crime Organizado (GAECO), quem autorizou a entrada de Élcio de Queiroz no condomínio do presidente é Ronnie Lessa, suspeito de ter feito os disparos

A reportagem exibida pelo Jornal Nacional nesta terça-feira (29) citou o nome de Bolsonaro na investigação do caso Marielle Franco.

Leia Também:  O recado de Bolsonaro sobre a Petrobras

A Polícia Civil do Rio de Janeiro teve acesso ao caderno de visitas do condomínio onde morava o presidente e o ex-policial militar Ronnie Lessa, acusado da morte da vereadora do PSOL.

No dia 14 março de 2018, o ex policial militar Élcio Queiroz, outro suspeito do crime, anunciou na portaria do condomínio que iria visitar Jair Bolsonaro e acabou indo até a casa de Lessa, segundo informações divulgadas pela Rede Globo.

vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
Sueli Pinheiro
Sueli Pinheiro
10 meses atrás

CONSEQUENCIAS!

Simone Leite

Simone Leite atuou como repórter, produtora de TV, assessora de imprensa e editora de notícias. Há nove anos, atua diretamente na política, área que se diz apaixonada!