Porteiro recua

O porteiro que havia citado o presidente Jair Bolsonaro nas investigações da morte da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes recuou, em depoimento à Polícia Federal, da versão dada anteriormente à Polícia Civil do Rio.

Ele disse à PF na última terça-feira (19) que errou ao atribuir ao presidente a autorização para a entrada no condomínio Vivendas da Barra de um dos acusados do crime. Também afirmou ter se sentido confuso durante os dois depoimentos dados à Polícia Civil em outubro.

O desenrolar desta história está próximo.