O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta 2ª feira (15) que a aprovação de uma reforma administrativa pelo Congresso não é viável mais em 2020. Segundo ele, a “guerra da mídia” ocasionou o atraso nos debates. A fala foi em entrevista ao canal BandNews.

“É um desgaste muito grande. Eu não estou preocupado com reeleição, mas nós devemos nos preocupar com o brasileiro de forma honesta, justa, e não ser massacrado pela opinião pública por uma coisa que você não fez e não propôs. Então, a guerra da mídia é importante, por isso o atraso no envio da reforma administrativa […]. O 2º semestre acaba em novembro, por causa das eleições. Isso, com toda a certeza, fica para o ano que vem.”

O presidente destacou que é necessário um “bom trabalho de mídia” sobre a reforma administrativa para mostrar que ele não está querendo acabar com a estabilidade dos servidores públicos. “Se não, chega para os 12 milhões de servidores públicos que estou acabando com a estabilidade deles. Eu não estou preocupado com reeleição, mas temos que ouvir nossos eleitores.”

Questionado sobre a reforma tributária, Bolsonaro disse que sua aprovação pelo Congresso Nacional é “complicada” porque envolve o interesse de governadores, prefeitos e outros setores.

Leia Também:  Para mudar a sua consciência política

Acrescentou que tem insistido com o ministro Paulo Guedes (Economia) para 1 texto mais enxuto e que tenha mais chances de ser chancelado. Não cravou uma data para que apresente a proposta aos deputados e senadores.

Assista à íntegra da entrevista:

vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Simone Leite

Simone Leite atuou como repórter, produtora de TV, assessora de imprensa e editora de notícias. Há nove anos, atua diretamente na política, área que se diz apaixonada!