Hoje é o dia da escola e nada melhor do que começar a comemorar com a festa que acometeu a escola em Suzano.
E que festa! A liberação do porte de arma mal entrou em vigor e já nos mostrou nosso primeiro massacre e em meio a olimpíadas, ficamos novamente atrás dos E.U.A. Foi, segundo investigações, exato um ano e meio de preparação de nossos atletas. Passaram por treinamentos de táticas com os instrutores mais equiparados do mundo todo, local de encontro: deep web.

Em choque para não dizer outra coisa, acompanhar este caso de Suzano (SP), me deixa abismado com o nível de maldade em que a população brasileira vem alcançando. Estamos nos tornando o país da intolerância, da desigualdade e acima de tudo o pais da hipocrisia.

Eu não vou falar da deep web, não hoje!

Não vou incitar mais a cabeça da população com discurso de ódio e nem aguçar para que a curiosidade acometa as crianças e adultos a irem pesquisar coisas de outro mundo e se tornarem os próximos na lista de atrocidade. Isso o nosso querido Presidente e todos os bolsominions já vem exercendo, com comentários soltos, mau colocados, mau intencionados e de muito mau gosto.

Porém, eles não são os únicos e como me traz uma dor pela perda dos familiares, não vou adentrar no assunto, vou jogar algumas declarações e deixar que tirem suas próprias conclusões:

Eduardo Costa : “ . . . Ela pode ter certeza de uma coisa, essa mamata vai acabar, a corda sempre arrebenta por lado mais fraco e o lado mais fraco hoje é o que ela está . . “

Mara Maravilha: “ A criança vai nascer e vai chamar quem de mãe ? Só estou perguntando. A Neném será o pai, não?”

Jair Bolsonaro: “O filho começa a ficar assim meio gayzinho, leva um coro ele muda o comportamento dele . . .”

Ministra Damares: “É o momento da Igreja dizer à nação a que vinhemos. É o momento da Igreja governar.”

Day McCarthy: “A menina é preta, tem um cabelo horrível de pico de palha e um nariz de preto horrível, o povo fala que a menina é linda? Aí essas pessoas vêem ao meu Instagram me criticar pela minha aparência .”

Júlio Cocielo: “Mbappé conseguiria fazer uns arrasastão top na praia.”

O brasileiro está perdido entre o ódio e a sua própria vontade de fazer a diferença. Não é criando lei de armamentos que irá salvar a população, não é querer discutir se é certo ou errada a opção sexual de alguém que irá trazer melhorias na vida da população, é educando que irá mudar o rumo dessa nação.

No dia da escola, vamos valorizar os professores, vamos trabalhar em conjunto, vamos instruir bem as nossas crianças para que no futuro não se construa mais presídios e sim mais escolas. Estamos ficando para trás, estamos ficando parados a ponto de retroceder, estamos perdidos e sem acreditar em uma mudança, mas isto não pode fazer com que percamos a esperança. É preciso continuar a lutar, a dialogar, a se fazer presente em todos os meios, só assim se conquistam novos direitos, se mudam velhos hábitos e inicia-se o processo de desenvolvimento.

Nada de promessas infundadas, nada de salvador da pátria, nada de fechar os olhos só porque isto não está acontecendo no seu quintal, pode chegar a acontecer! Já pensou nisso?

Precisamos de compreensão, precisamos de união!

Encerro aqui as indiretas de hoje com uma frase:

“Ainda somos os mesmos, ainda somos os mesmos e vivemos como nossos pais. . .“ Elis Regina.

Xo Xo
Jhonny B

Deixe um comentário

avatar
  Subscribe  
Notify of

Jhonny Bravo

Nosso colunista é um mistério. Graduado em marketing com pós-graduação em acidez irônico sobre todos os temas. Ele chega para mesclar os assuntos que são pertinentes para o povo brasileiro. Fofoca, Política e, claro, crítica com sabor de pimenta malagueta.
Fechar Menu