Muito se fala sobre a liberação da venda e consumo de bebidas alcoólicas em estádios ou arenas esportivas, tendo em vista que existe um amplo debate a respeito de haver, ou não, risco nesta liberação.

A experiência de 2014, durante a Copa do Mundo no Brasil, com a venda liberada nos estádios de futebol, por força da Lei Geral da Copa, nos fez refletir sobre eventuais impactos positivos e negativos desta medida, pois não houve nenhum registro de incidente significativo nesta época.

O tema foi levado à Câmara Federal e Assembleias Legislativas por todo país. A Câmara Legislativa não ficou de fora e, pelas mãos do deputado distrital Daniel Donizet (PSDB), virou projeto de lei.

A proposta foi aprovada, nesta terça-feira (10), com 13 votos favoráveis e segue agora para sanção do governador Ibaneis Rocha.

Leia Também:  Servidoras vítimas de violência têm sigilo de dados garantido

De acordo com o texto, somente poderão ser comercializadas nos estádios e arenas esportivas bebidas com graduação alcoólica não superior a 14%, sendo proibida a venda de destilados. O projeto prevê que, em dias de eventos, campanhas publicitárias sejam promovidas com o objetivo de alertar a população quanto ao consumo excessivo de bebidas alcoólicas.

 

Opinião: A proibição, no aspecto prático, causa muitos problemas no entorno dos estádios, pois os torcedores consomem suas bebidas antes dos jogos num curto espaço de tempo, potencializando o grau de álcool no organismo, além do que, isto incentiva esse nefasto comércio ilegal de bebidas alcoólicas.

vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Simone Leite

Simone Leite atuou como repórter, produtora de TV, assessora de imprensa e editora de notícias. Há nove anos, atua diretamente na política, área que se diz apaixonada!