Ontem (23), o deputado Chico Vigilante (PT) voltou a criticar o processo de terceirização para o fornecimento de merenda escolar para a rede pública de ensino do DF.

De acordo com o parlamentar, foi a “maracutaia” envolvida nesse processo que causou a exoneração, na última quinta-feira (18), do ex-secretário de Educação do DF, João Pedro Ferraz.

Vigilante citou o caso de Santa Catarina, onde a merenda é fornecida por empresa terceirizada, para argumentar que lá a “comida não presta” e o “suco é de latinha”, motivo pelo qual os próprios alunos dispensam a refeição, ao exemplificar que uma escola pública catarinense, onde há cinco mil alunos, apenas mil optaram pela merenda escolar.

Leia Também:  "CLDF deu exemplo de como é preciso equilibrar prioridades"

De acordo com o parlamentar, a merenda escolar do DF tem outro padrão, uma vez que os produtores rurais do DF fornecem os alimentos, que são preparados pelas merendeiras das escolas, o que garante a qualidade das refeições e o suco natural servido aos alunos.

Se a terceirização prevalecer “vai se instalar uma máfia no DF”, afirmou.  A deputada Arlete Sampaio (PT) corroborou com a posição contrária à terceirização no fornecimento das merendas.

vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Simone Leite

Simone Leite atuou como repórter, produtora de TV, assessora de imprensa e editora de notícias. Há nove anos, atua diretamente na política, área que se diz apaixonada!