Nos dias de hoje, o feminicídio choca toda sociedade no Distrito Federal. A cada caso a coisa fica mais assustadora, com uns malucos ceifando a vida das suas companheiras. Cada caso comove ainda mais o DF. A primeira coisa que eu tenho a dizer, antes de começar o texto, é que jamais a vítima tem culpa, e eu nunca cometeria esse heresia de culpar quem jamais deveria ser ferido.

Porém algumas verdades devem ser ditas. Uma delas é que qualquer ser humano jamais deveria se colocar em risco. Na semana passada, Samambaia foi manchete por haver três mulheres assassinadas pelos companheiros. Eu tive o trabalho de analisar a ficha corrida desses pulhas e me deparei que alguns deles tinham várias passagens pela polícia, tinha até homicídio na área.

Nem sempre temos como prever quem vai nos agredir ou vai deixar de nos agredir, mas um fato é que não devemos nos colocar em risco, dou um exemplo: já pensou se eu encho o bolso de dinheiro e vou até uma cracolândia exibir meu dinheiro e meu iphone, será que eu volto de lá pelo menos com a roupa do corpo?

É a mesma coisa um relacionamento. O que mulheres boas querem com criminosos que não têm amor a própria vida? Também entendo o lado delas, de quererem dar uma segunda chance e ver o lado bom do crápula, mas esses caso tem se mostrado que esse tipo de sujeito não tem recuperação e pode a qualquer momento atentar contra a sua vida. Eu estou falando alguma mentira?

O que eu quero dizer é que alguns sujeitos não valem a pena dar uma segunda chance. Vê a questão de um tatuador que já tinha homicídio e diversos crimes na costas, colocou a mulher em cárcere privado e a espancou por várias semanas.

Leia Também:  Na geral

O vagabundo tinha passagens por homicídio e vários crimes de toda natureza. Ela sabia do passado do assassino e quis dar uma segunda chance colocando-o dentro da sua própria casa, mas no final ela que se deu mal. Graças a Deus a mulher está viva para contar a história. Esse bandido jamais a merecia, porém o marginal estava em seu lar.

A culpa nunca será da vítima, mas é bom, daqui para a frente,kl evitar esse tipo de pessoa, que não merece as suas boas intenções. Claro que há casos de pessoas que parecem boas, ficam loucas da cabeça, mas esses merecem outros textos.

Mas sujeitos com passagens pela polícia e que tem histórico criminal extenso não merece a sua atenção. O pior é que se alguém ousar a escrever isso, será chamado de machista e que está colocando a culpa na vítima. Por que não fazem campanhas para as mulheres se prevenirem. Hoje não dão a real, pombinha branca e passeata de merda não irão salvar vidas, mas selecionar as pessoas que entram nas nossas vidas pode nos ajudar a não ir para o caixão.

Moral da história: Nós devemos ter cuidado com quem entra em nossas vidas. Simples assim.

A verdade mesmo doída pode salvar várias vidas.  Espero que tenham entendido que o eu estou querendo dizer nessas linhas, porque daqui para frente vou tocar nessa ferida sem parar.

2
Deixe um comentário

avatar
1 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors
Simone LeiteKalyane Bastos Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Kalyane Bastos
Visitante
Kalyane Bastos

E como o digníssimo repórter pretende que as mulheres de informem sobre o passado dos seus companheiros? Acaso sabe que pra pedir ficha de antecedentes na polícia é preciso informar RG, CPF e até nome do pai e da mãe? Quem tem acesso a esse tipo de documento de um namorado???

Simone Leite
Editor

Com o nome completo e endereço, você consegue verificar também. Existem algumas ferramentas que facilitam a verificação. Antes de colocar alguém dentro de casa, é necessário conhecer muito bem.

Odir Ribeiro

Odir Ribeiro é jornalista, blogueiro e multimídia que desde 2011 cobre os bastidores da política do DF.
Fechar Menu