Desde que assumiu a Secretaria de Justiça e Cidadania do Distrito Federal, a propensa candidata a deputada federal, Marcela Passamani, esposa do atual Chefe da Casa Civil, Gustavo Rocha, tem decepcionado em seus resultados. A Secretaria não conseguiu executar uma centena de projetos em 2020, devolvendo mais de 10 milhões em emendas parlamentares. Marcela então, para não se desgastar com os deputados distritais, resolveu colocar o prejuízo na conta dos servidores, que estão amadurecendo a ideia de denunciá-la por assédio moral. A insatisfação com a gestão de Marcela ultrapassa os limites do executivo e já chegou a CLDF. E não para por aí. Em pesquisa junto aos Conselhos Tutelares, é possível ver o descaso da atual secretária, que não recebe os conselheiros em seu gabinete e não atende as suas demandas. É fato que os Conselhos Tutelares do DF estão a míngua, e hoje sobrevivem pelo esforço pessoal de seus conselheiros. Ao analisar as publicações no diário oficial do DF, podemos constatar a instabilidade pela excessiva troca de pessoal. Recentemente uma da indicadas de Marcela Passamani, Janandreia de Medeiros Dantas Rafael, foi denunciada pelo Ministério Público por suspeita de desvio de recursos público. Janandreia, amiga pessoal de Marcela, foi nomeada Subsecretária da SEJUS, com o objetivo de cuidar de licitações importantes. Pelo andar da carruagem, a propensa futura deputada dederal verá seus sonhos ruírem antes mesmo da próxima eleição.

Deixe uma resposta

Odir Ribeiro

Odir Ribeiro é jornalista, blogueiro e multimídia que desde 2011 cobre os bastidores da política do DF.