A presença de Leandro Grass (Rede) nas sessões da Câmara Legislativa tem trazido fortes emoções. O distrital se empenhou ao máximo para a instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar as irregularidades cometidas por membros do Poder Executivo no combate à pandemia do coronavírus.

Bem antes da prisão do secretário de Saúde, Francisco Araújo, Grass já vinha reforçando sobre a necessidade de uma CPI.

O distrital articulou com os deputados distritais independentes para conseguir as suadas 13 assinaturas da CPI. Mas quando finalmente conseguiu, eis que se deu início à novela. Durante semanas, a Casa simplesmente parou os trabalhos por conta do “tira casaco, põe casaco” da CPI. Até que ontem (15), o presidente Rafael Prudente (MDB) decidiu seguir a ordem cronológica de apresentação dos requerimentos de criação das CPIs. A próxima comissão da fila a ser instalada é a que investigará maus-tratos a animais. O requerimento de criação da CPI da Pandemia, no entanto, é o terceiro da fila. Ou seja, pelo andar da carruagem, este ano não veremos a CPI da “Fumaça” ser instalada.

Leia Também:  Salários iguais para homens e mulheres

Na sessão desta terça-feira (15), Grass cobrou do presidente Rafael Prudente a criação da comissão e acusou a CLDF de falta de transparência e de representação. Subiu o tom!

“Uma Casa que se abstém do seu papel, da sua função constitucional, que é fiscalizar o Poder Executivo”, disparou. “É lamentável. É uma vergonha, uma lastima. É horroroso o que está acontecendo na CLDF”, alertou.

Para o portal, Grass tratou de deixar claro que com ou sem CPI, a luta continua. Ontem mesmo, ele apresentou 35 requerimentos de informação para a Secretaria de Saúde sobre contratos, compras, processos e também sobre os hospitais de campanha.

O parlamentar falou sobre o assunto com o portal Rádio Corredor. Confira o áudio:

5 1 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Simone Leite

Simone Leite atuou como repórter, produtora de TV, assessora de imprensa e editora de notícias. Há dez anos, atua diretamente na política, área que se diz apaixonada!